Associação de produtores
dos vinhos dos Altos Montes

Notícias

Voltar

INDICAÇÃO DE PROCEDÊNCIA CONFERE QUALIDADE AOS VINHOS DOS ALTOS MONTES

Os vinhos e espumantes produzidos em Flores da Cunha e Nova Pádua serão identificados em qualquer local do mundo pelo selo de Indicação de Procedência (IP) Altos Montes.
 

No próximo dia 18 a Associação de Produtores dos Vinhos dos Altos Montes (Apromontes) irá apresentar oficialmente a IP Altos Montes, a terceira conferida para vinhos brasileiros (Bento Gonçalves e Pinto Bandeira já contam com a distinção). Durante o evento, que será realizado na Escola de Gastronomia UCS-Icif, as 13 vinícolas que integram a entidade irão receber do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi) o certificado que atesta que participam do projeto.

Para o presidente da Apromontes, Deunir Argenta, esse momento marca um divisor de águas para a entidade. “A história da Apromontes será antes e depois da certificação, devido à importância da IP”, afirma.

As vinícolas que têm vinhos com essa certificação certamente possuem um diferencial que as qualificam entre as melhores do mundo. A IP Altos Montes certifica a qualidade dos vinhos e espumantes que levam a marca. Segundo Argenta, a normatização aumenta o valor agregado dos produtos, gerando maior facilidade de colocação no mercado. Além disso, quando o consumidor encontra uma garrafa de vinho com tal identificação, terá a certeza que a bebida é elaborada sob os mais altos graus de exigência e controle de produção e produtividade, que iniciam ainda no vinhedo. “Isso cria uma confiança e fidelização do consumidor”, aponta. Para receberem o selo da IP os vinhos da região passarão, a partir de agora, por um criterioso processo de seleção, que delimita o local de cultivo das uvas e as variedades utilizadas na elaboração dos vinhos. Os vinhedos terão de ser no sistema de condução espaldeira, com um limite de mudas por hectare e limite de produção. Também será feito um controle rigoroso de análise de solo. Tudo isso será catalogado e enviado para as vinícolas que também precisarão seguir um processo rigoroso de produção. Feito tudo isso, esses vinhos serão submetidos a avaliação às cegas do Conselho Regulador da IP, o qual irá verificar se os produtos atendem todas as exigências de qualidade. Somente depois é que as empresas serão homologadas para a utilização do selo IP Altos Montes nas bebidas. Conforme Argenta, o desafio agora para as vinícolas que não possuem produção própria de uvas é obter matéria-prima que siga todas essas exigências. “A partir do momento que se começar a criar essa cultura, será preciso eleger alguns produtores para produzirem essas uvas, para se adaptarem ao processo. Esse será um trabalho em parceria entre as vinícolas e os produtores, que serão devidamente recompensados pela qualidade da uva que entregarem”, destaca. O presidente da Apromontes lembra que somente poderão utilizar o selo de Indicação de Procedência as vinícolas que forem associadas à entidade: Fante, Viapiana, Luiz Argenta, Terrasul, Nova Aliança, Mioranza, Panizzon, Salvador, Valdemiz, Casa Venturini, Fabian, Boscato Vinhos Finos e União de Vinhos do Rio Grande. “A marca foi registrada junto ao Inpi e faz parte de um processo da entidade e não das empresas em isolado. Por isso, somente as empresas parceiras serão beneficiadas”, ressalta. Porém, Argenta frisa que a entidade está aberta para receber novos associados.

Data: 12-04-2013/Fonte Jornal O Florense